Sobre despedidas, saudades e gratidão

Na última reunião de colaboradores, 29 de outubro, terça-feira, foram tratados assuntos importantes para a entidade. Entre eles, a entrega de um certificado de homenagem e agradecimento ao voluntário Adilio Schneider Finger, ex presidente da entidade, com 27 anos de voluntariado.

Durante a reunião, também aconteceram comoventes despedidas e agradecimentos, a duas colaboradoras que deixaram a marca do comprometimento e da ternura na vida dos acolhidos especiais da Casa.

LARISSA COLLAÇO esteve conosco durante um ano e meio. Tempo suficiente para deixar registros positivos na Casa e na emoção dos colegas.

Coordenou com agilidade a mobilização de recursos internos. Sua importância ficou bem registrada em uma mensagem escrita e lida na reunião, por Jaqueline Pesce, voluntária e membro do Comitê Gestor: 

“(...) Larissa qualificou nossa Recepção, organizou o processo de recebimento, logística e finalização das doações, direcionou o olhar dos doadores para as reais necessidades da casa, entre tantas outras medidas transformadoras na linha de "Eventos e Doações", com seu profissionalismo exemplar (.. )”. De jeito doce no trato com as pessoas e com as crianças, Larissa deixa amigos e muitas saudades.

CLARINDA SILVEIRA trabalhou na Casa do Menino desde a sua fundação, em 1984, pelo jornalista Fabio Rocco. Conhecedora da nossa história, Lalá, como carinhosamente a chamamos, sempre demonstrou lealdade e dedicação exemplares ao seu trabalho.

Buscou conhecer individualmente cada um dos acolhidos, que a reconheciam pela voz, pelo trato, pelo afeto que recebiam. O coração de Lalá sempre bateu junto com o coração de cada criança especial da casa. Hoje, nosso coração bate com o dela, quando reconhecemos sua importância na trajetória da Casa do Menino e expressamos nossa profunda gratidão.

Jaqueline Pesce também registrou com muita delicadeza o reconhecimento da importância de Clarinda na vida das crianças da Casa, num pequeno conto em que Deus escolhe um anjo (Lalá) e lhe atribui uma missão muito significativa:

“(...) Tu, querido anjo, estarás com elas como guardião do meu Amor, até o momento em que os homens aprendam a olhá-las com respeito, dignidade, inclusão e amor. Neste momento terás cumprido tua grandiosa tarefa junto aos homens por amor ao meu coração(...) ”.
GRATIDÃO, LALÁ!

“Podemos dizer adeus às pessoas que amamos. Mas não as tiramos do nosso coração.”

Há mais de 30 anos, todos os dias, com muito amor.
Imagem Coração
TOPO