Agora temos um Blog! Que este espaço nos permita saber mais sobre a realidade das crianças especiais e sobre histórias de sucesso, de conquistas e de emoção no envolvimento com estes seres de vida tão delicada. Quanto mais sabemos sobre eles, mais os amamos! Colabore! Envie suas sugestões e relatos para comunicacao@casadomenino.org.br!

Espelho nos olhos

 


É sempre delicado estar diante de uma criança com lesão cerebral profunda. E mais ainda, com severos comprometimentos motores.Nas primeiras vezes você fica imobilizado, desconfortavelmente à mercê do que não compreende, de uma realidade para a qual lhe parece não haver explicação. Na sua frente há uma criança restrita ao leito, parecendo que seu espírito está definitivamente confinado em um corpo diferente. Diferente do seu.


No silêncio desse momento você tenta ouvir o eco dos próprios pensamentos, das inúmeras perguntas sem respostas, de uma angústia que parece não saber de onde vem. Chorar ou sair da sala rapidamente? Mas você escolhe permanecer olhando aquela criança. Pode surpreender-se com um delicado movimento que ela poderá fazer na sua direção, salivando um pouco, dando sucessivas piscadelas, construindo, no seu próprio ritmo, um pequeno sorriso para lhe entregar antes que sua aflição o faça partir, abandonando-a como já aconteceu outras vezes. O sorriso vem para enriquecer algo que ela já lhe entregou e que, aflito, preocupado em definir uma rota de fuga, talvez você não tenha percebido. Ela lhe terá recém presenteado com o melhor do seu olhar. Olhar profundo, cheio de mistério que, ao encontrar com o seu, vai definir o seu papel na vida desta criança. Olhar que denuncia o que não compreendemos, nossa dificuldade em entender os sinais do outro, de interagir com o desconhecido.


Paralisia cerebral não implica necessariamente em deficiência mental. Esta constatação, lembrada rapidamente – você não se dá conta de quantos minutos já o detêm diante desta criança singular – lhe inquieta o peito, ao tentar imaginar uma mente ativa em um corpo limitado.

A criança continua insistindo no olhar. Parece acreditar que essa é a sua derradeira ferramenta de sedução, o melhor que ela tem para lhe entregar em troca do tempo que você permanece diante dela. Olhar doce, olhar úmido, olhar inquietante. A água nos olhos da menina a sua frente, lhe toca. Então você se permite – hesitante – baixar a guarda, soltar um sorriso tímido, acariciar sua mãozinha, esperando que ela também faça o mesmo. O que pode não acontecer. Mas, mesmo dividido, com parte de você querendo sair correndo dali, tomar uma cerveja, pensar noutra coisa, você diz algo meio sem graça só para constar: “Ooooi, querida...” Acredite: a menina, que traz um espelho nos olhos, abrirá sua realidade num sorriso completo revelando o que você já começara a descobrir: a sutileza da troca de olhares entre vocês vai fazer mais diferença na sua vida do que na da pequena criança.


Ao permitir-se olhar uma criança neurolesionada com outra perspectiva e compreender a sintonia daquela troca como uma graça da vida, você perceberá possibilidades incríveis nela e no seu envolvimento com ela. Vai passar a acreditar no desafio de promover melhoras no seu cotidiano e de lutar para que ela tenha o mesmo direito a saborear a vida que você tem.

Diante de um menino ou menina com lesão cerebral profunda você tem dois caminhos: evadir-se, acreditando na amargura da vida e na impossibilidade de transformar realidades ou permanecer e captar sutilezas no olhar ou no silêncio desses seres especiais. E, a partir do momento que escolheu ficar, acreditar que pequenos gestos seus farão grandes diferenças na vida deles, que é de pura entrega e expectativa. Isto é o que acontece com quem os conhece: você se inquieta, hesita, se permite uma troca e se apaixona. Felizmente, na maioria das vezes, você decide lutar para manter a magia no olhar que o transformou.

Dênia Bazanella
Voluntária/Comunicação

Comentários  

# Alberto Oliveira Ann 01 de Outubro, 2016 - 14:56
Como sempre um texto muito bem escrito pela Dênia, carregando a emoção que se sente nessas ocasiões e que não tem preço. Agradecemos a Deus, que nos proporciona essa bela remuneração em nossas vidas.
Responder | Responder com citação | Citar
# Maria Luiza Sanfelic 01 de Outubro, 2016 - 18:56
Além de bem escrito, esse texto da Dênia nos comove e nos leva a refletir sobre tudo o que acontece na Casa do Menino Jesus de Praga.Quanta eficiência por parte dos funcionários para chegar ao Iso 9001! Quanto amor e dedicação de cada voluntário que lá atua!
Nesse mundo conturbado que vivemos é difícil inerir tudo isso!
Nossa admiração sincera e votos que a casa logo consiga fazer a mudança pro novo local e continue sempre lutando por essas crianças que tanto precisam desse apoio em suas vidas!
Responder | Responder com citação | Citar
# Heloisa Annes 01 de Outubro, 2016 - 21:23
É uma emoção ler este texto da Dênia, pois revela exatamente o que sentimos ao estar diante de uma destas crianças.
Responder | Responder com citação | Citar
# Tadeusdutra 01 de Outubro, 2016 - 23:05
Mesmo estando longe, estou perto. A minha história com essas crianças ainda não começou.
Responder | Responder com citação | Citar
# Marco antoni Perotto 02 de Outubro, 2016 - 19:23
Prezada Dênia, disseste tudo o que todos qeu amam a casa pensam.
Parabéns e um fraterno abraço
Responder | Responder com citação | Citar
# Marco A. Perottoni 02 de Outubro, 2016 - 19:26
Desculpem a falha, mas não reparei que tinha limites de preenchimento e também não revisei, assim vai o nome correto Marco Antonio Perottoni
Responder | Responder com citação | Citar
# Ana Mello 02 de Outubro, 2016 - 20:03
Dênia, belo olhar, belas palavras. Um ato de coragem também, porque diante da dor muitas vezes a gente simplesmente foge. E é dolorido ver uma criança doente, sofrendo, com limitações, mesmo para quem acredita que elas são crianças nessa vida e escolheram esse destino na sua trajetória de aprendizagem. Que a gente possa ter coragem e ajudá-los a vencer esse desafio, com pelo menos um toque de amor.
Responder | Responder com citação | Citar
# Cristiane Nunes 03 de Outubro, 2016 - 15:14
Parabéns Dênia, pela inspiração que tiveste a partir deste lindo trabalho.
Conviver com crianças especiais é viver intensamente cada minuto de nossa vida.
Responder | Responder com citação | Citar
# Eleonora Pegorini 04 de Outubro, 2016 - 00:12
Obrigada, Dênia, por nós brindar com essa confissão de um amor irrestrito e verdadeiro. O "espelho nos olhos" reflete a imagem de quem os mira.m
Responder | Responder com citação | Citar
# José Gilberto da Sil 10 de Outubro, 2016 - 21:50
Incrível Denia, conseguiste neste texto justificar porque a cada dia nos tornamos mais comprometidos com nosso trabalho voluntário junto à Casa do Menino Jesus de Praga.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Digite o captcha abaixo para enviar seu comentário:

Código de segurança
Atualizar

Imagem Coração
TOPO